25 de out de 2012

Futuro, incerto, futuro

523437_479338178777623_1978041824_n_large
Nunca fui de me preocupar muito com o futuro, quando era menor estava praticamente decidida que iria ser médica, mas afinal, qual criança não pensa isso?
Então fui crescendo, estudando ciências, descobrindo ainda mais sobre o que cerca um médico e fui gostando, quando estudava ciências, amava essa matéria. Então você vai chegando a adolescência, sua mente vai se abrindo mais e vai formulando mais possibilidades. Atualmente estou na oitava série, isso quer dizer que ano que vem entrarei no Ensino Médio e logo o futuro se aproximará. E eu odeio essa palavra.

Gosto do presente. Gosto de ter uma casa com tudo e sem precisar pagar nada, por mais que ache a vida de estudante um pouquinho dura, queria ver a vida de um universitário. Tenho medo de experimentar uma nova vida, de me distanciar dos meus pais (por mais que tenha contradito isso nesse post precipitado) e de - quanto mais o tempo ir passando - eu ir perdendo as pessoas que amo para a morte.

Mas aonde estou querendo chegar é que a minha maior preocupação é de como eu vou me manter. Como eu disse no começo desse texto: nunca fui de me preocupar muito com o futuro, mas isso mudou. Eu comecei a escrever, e vi que era boa nisso, aliás, essa é a principal razão pela qual eu mantenho esse blog, escrever é tão importante quanto qualquer outra coisa que eu considero essencial para mim. E dando espaço a Medicina, surgiu Jornalismo. Pensei muito nessa profissão, até porque ser colunista por exemplo, se encaixa no meu perfil, eu gosto de falar do cotidiano e de opinar, além disso, acho que tenho um bom português. Mas vem aquela questão que todos falam: o salário de um jornalista não é tão bom. Daí esqueci esse curso e resolvi que faria Medicina.

Porém de uns dias para cá, nas aulas de português, a professora está nos mandando escrever diversas redações relacionadas a adolescência e aos planos acadêmicos, e isso me despertou um pensamento: "Por que fazer algo que eu não estou totalmente satisfeita?" Sei que ainda é cedo para me preocupar, mas eu sou assim, quando boto algo na cabeça, não consigo tirar.

Será que eu vou me contentar em trabalhar o dia todo num hospital? Será que eu vou aguentar mexer com corpos e cadáveres? Será que valerá a pena estudar tanto? O salário de um médico é mais que excelente, mas é como dizem: o que vale é a profissão e não o profissional, você só se sairá bem se for o melhor no que faz.

E aí eu penso no futuro eu sendo uma jornalista, tenho medo de me desapontar com a profissão e não conseguir me sustentar, até porque eu não moro nos estados das empresas de revistas famosas (tipo a Veja), eu moro em Garanhuns, no interior de Pernambuco, terei que me mudar para no mínimo Recife.

E são pequenos detalhes como esses que me assustam, afinal, eu devo ganhar dinheiro fazendo algo que não gosto totalmente ou devo fazer algo que gosto muito, mas que não dá muito dinheiro?

11 comentários:

Andressa Rodrigues disse...

Toda vez que entro no seu blog e começo a ler seus textos me surpreendo. É isso meso, você tem 14 anos? Fico muito surpresa, pois tem adolescente da mesma faixa etária que não tem tamanha inteligencia que a sua e muito menos essa satisfação por escrever. E olha que sou universitária e estudante de Pedagogia, e confesso pra você que mesmo lá na universidade não existe pessoas assim, como você. Parabéns.

Voltando ao assunto do seu texto: Gostei muito dele, e com cordo com você. Também não sou muito de pensar no futuro em relação há alguma coisas, gosto de viver o presente e conquistar coisas objetivos agora, mas é claro que é sempre bom pensar nele, no futuro. Em relação a profissão é sempre complexo nesta idade pensar sobre isso, pois surge várias dúvidas, foi assim comigo. Pensei desde medicina à química e optei por Pedagogia, pois acredito que para a educação mudar devemos começar por nós mesmo, antes tinha preconceito com este curso, mas quando entrei na universidade vi que ele é tão importante quanto medicina. O poder que temos de estimular o aprendizado, de transformar pessoas e a educação, não ensinar dar ao aluno respostas prontas, mas faze-lo buscá-las. Fazer com que eles pensem e vão atrás de seus objetivos e por isso mesmo acho esplendido as suas dúvidas em relação ao seu futuro e a maneira como encara. Seja qual for a profissão/curso que seguir que seja de coração e que tenha prazer no que faz e estuda.

Eita falei de mais. Seus textos são maravilhosos, você é muito inteligente, parabéns e que seja feliz na opção que escolher de curso. Beijos.

Victhor Asckermann disse...

Acredito que você deva levar como profissão algo que a agrade que possa lhe trazer retorno, não precisa ser muito dinheiro. Mas se optar por algo que não goste e ganhe bem, vai acabar enjoando da profissão, afinal você deve fazer aquilo que realmente gosta e lutar para alcançar seus objetivos. Quanto ao futuro, já parou para pensar que ele não existe como realmente imaginamos? O futuro nada mais é, que o conjunto das aspersões que esperamos para nossa vida, mas isto pode não acontecer. Sabe, tudo na vida tem uma razão e a razão nada mais é que a consequência de uma ação anterior. Então se você tem uma meta ou objetivo, acredite verdadeiramente que você vai conseguir e lute por ela, pois tudo o que você quiser, pode sim se tornar realidade, basta você querer e acreditar e lembre-se faça com o coração ^^^
Abraços e gostei de te conhecer =D
Revolução Nerd

Gabriela Freitas disse...

Fiz um comentário gigante e acho que o blogger me "trollou" bacana!
vou resumir tudo o que eu escrevi, então:
Você ainda vai mudar de opinião, esse é o meu palpite, eu tinha certeza de que queria fazer jornalismo até o mês passado, quando aos 45 do segundo tempo o curso de arquitetura também passou a me parecer interessante! É complicado ter que escolher o que vamos fazer pelo resto da vida! Dá um medo danado de embarcar nesse barco, e se ele naufragar na metade? E se eu desistir do curso por ele não ser aquilo que eu imaginava? É difícil, é bem difícil.

gabriela disse...

Fiz um comentário gigante e acho que o blogger me "trollou" bacana!
vou resumir tudo o que eu escrevi, então:
Você ainda vai mudar de opinião, esse é o meu palpite, eu tinha certeza de que queria fazer jornalismo até o mês passado, quando aos 45 do segundo tempo o curso de arquitetura também passou a me parecer interessante! É complicado ter que escolher o que vamos fazer pelo resto da vida! Dá um medo danado de embarcar nesse barco, e se ele naufragar na metade? E se eu desistir do curso por ele não ser aquilo que eu imaginava? É difícil, é bem difícil.
o blog não está me deixando comentar (?)

Cristielen Camila disse...

Escolha aquilo que lhe complete mais. Eu depois que criei meu blog fui descobrindo uma paixão incrivel por design do blog (webdesign) e por escrever também... Vou seguir webdesign, mas vou ter escrever como hobby ou segunda profissão, quem sabe. No momento estou com uma história na cabeça, louca para por num papel e sair a procura de uma editora...
Beijos;*
Visita?
girlonlline.blogspot.com.br

Pam :) disse...

Hm...Escolher profissão é complicado. Eu só descobri mais ou menos o que eu queria fazer quando eu estava no segundo ano.
Resolvi que queria fazer Farmácia. Hoje, faço Biomedicina. Mudei de ideia aos 45 do segundo tempo, morrendo de medo de não curtir, e adoro. Inclusive, tenho muito mais afinidade com os campos de trabalho do que eu estou estudando do que com o que eu tinha decidido e fiquei dois anos dizendo que faria.
Medicina - assim como todas as demais áreas da saúde - é uma profissão que exige MUITO da pessoa e MUITA responsabilidade por lidar com vidas. É muito pior do que só mexer com os defuntinhos nas aulas. Pense se é isso o que você quer. Se gosta da área da saude, pesquise outras profissões também. Se mesmo depois de pesquisar, você continuar convicta, então siga em frente. Quanto ao jornalismo, faça o mesmo. Pesquise áreas afins. Se você vai ter sucesso em qualquer área, vai depender de você e do seu esforço. Porém, se estiver fazendo algo com que você se identifique totalmente, e não só por dinheiro ou "por achar legal", fica um pouco mais fácil.
E se escolher errado, fica a dica: você ainda tem uma vida pela frente, e não tem nada de ruim parar tudo, respirar e recomeçar em outra área.
Bom, boa sorte! :D Beijos!

Manu Sampaio disse...

Agradeço de coração os elogios, coisas assim me deixam muito para cima, é bom saber que as pessoas apreciam a sua inteligência! Obrigada pela força, vou me esforçar para escolher o que mais se encaixa comigo!

Julie Duarte disse...

O futuro é incerto... E o pior: só nós mesmos podemos decidir o que fazer com ele.
Escolher a profissão é bem dificil. Temos tantas hoje em dia que fica difícil optar por uma só. E as vezes, ainda erramos, né?
O importante é não querer apressar... Pense com calma, sem pressão. Procure pelos cursos que gosta e que acha que vai dar certo. Tenho certeza que tudo vai ficar ok <3
Amei seu texto, amr! Parabéns por ele s2

Raissa Passos disse...

Realmente adorei seu blog!
Estou na segunda série do ensino médio, ou seja, ano que vem eu tenho que decidir o que eu vou fazer para o resto da minha vida! Isso é realmente muito assustador.
Eu gostaria de só te dizer: Faça o que você gosta pois o importante é ter realização. Mas como você disse, se você fizer algo que gosta e acabar se frustando no futuro não terá valido a pena, por isso é preciso pesar muito os prós e os contras de qualquer coisa que você escolher, é isso que tem tirado meu sono nos últimos meses! kkkk
Mas espero que você tome sua decisão e seja muito feliz com ela.

somebitsnbobs.blogspot.com

Bia disse...

Estou na mesma situação... Mas mal posso esperar pelo futuro :D
Já decidi o que quero fazer, com pequenas variações ao longo do tempo, e por isso não estou preocupada!
www.analogicbea.blogspot.com

Carol Oliveira disse...

É exatamente nisso que eu penso todo dia: dinheiro x realização. Eu quero fazer jornalismo, e é algo que eu tenho na cabeça desde muito pequena, até pela proximidade com os blogs e por eu AMAR jornais e tudo relacionado ao ramo. Mas é o que você disse: pra ser bem sucedida como jornalista, a pessoa precisa morar em capitais e o salário não é lá aquilo tudo (há exceções, ok, mas o mercado é muito saturado). Meu drama é entre Jornalismo e Engenharia Civil (o mercado é gigante e eu nem ia precisar sair de casa pra fazer faculdade, já que tem uma federal ótima aqui perto).

Sorte sua que ainda tem três anos pra pensar. Como eu daria tudo pra voltar pra oitava série, rs!

muggle-world.blogspot.com

Postar um comentário

Só comente quando saber pelo menos 10% do post e escolha a opção "Nome/URL". Ah e não aceito selos/tags e nem parceria. Obrigada pela visita.