24 de fev de 2012

Além dos Sonhos - CAP.1

Bem, como vocês sabem um dia desses eu escrevi uma história não foi? Mas não deu muito certo porque não era o tipo de história que eu queria e eu não imaginava o final então eu a excluí. Mas hoje comecei uma que já tenho o final planejado e eu prometo que vou (tentar) continuá-la.
PS.: a história se passa nos EUA.

Era mais uma tarde tediosa para Beth. Tinha se mudado faziam poucas horas para uma pequena cidade para morar com a tia Meg. Seus pais tinham se separado e precisavam trabalhar em outro estado e iam vender a casa, então para não ficar sozinha, foi morar com sua tia, irmã de sua mãe. 

Assim que chegou, ela tirou seu laptop de sua mochila e foi pesquisar. Uma coisa há muitos dias não saía de sua cabeça: Seus sonhos. Ultimamente estava sonhando com a mesma coisa. Seus sonhos retratavam um cenário de bosque, em que ela corria sem parar com um longo vestido branco e atrás dela corria também um rapaz. Um belo rapaz, seu cabelo era castanho escuro e liso e ele tinha um par de olhos azuis. 

Então abriu o seu melhor amigo, o Google para pesquisar sobre sonhos e os seus significados. Mas todos os sites diziam o mesmo. Significados de sonhos com água, morte, sangue etc. Nenhum falava sobre sonhos com rapazes jovens e atraentes. Todos diziam também que os sonhos estavam ligados a pensamentos subconscientes e psíquicos. Sabia que não ia encontrar nada, era mais fácil pesquisar em uma biblioteca, pois ia encontrar algo mais confiável.

Faminta, foi para a cozinha lanchar. Pegou um suco na geladeira de sua tia e uma barra de chocolate e sentou-se na mesa da cozinha.

- Oi! - disse tia Meg

- Ah oi tia, me desculpe, não vi você. - disse Beth

- Tudo bem, você parece faminta. Quando vai organizar suas coisas no seu novo quarto?

- Hã, daqui a pouco, preciso pesquisar umas coisas na Internet.

Tia Meg sentou-se também na mesa e pegou um copo e pôs suco.

- Desde que chegou aqui só vive enfurnada nesse computador, como consegue? - perguntou ela

- É que, eu preciso pesquisar sobre umas coisas sabe? Coisa de estudo. 

- Ah sei, coisa de estudo. Vocês, jovens só querem saber de uma coisa nessa idade, e a Internet é um meio aberto para isso.

- Ah por favor... é coisa importante, eu juro.

- Está bem, está bem. Mas quando terminar vá arrumar suas coisas.

- Ok.

Tia Meg guardou o lanche na geladeira e lavou os copos. Beth foi pesquisar mais uma vez, porém se cansou, nada podia resolver seu "problema", então subiu as escadas e foi para seu quarto arrumar suas coisas.
Ao chegar lá, o quarto aparentava ser pequeno mas aconchegante. As paredes eram beges e meio encardidas, a cama se situava no centro e tinha uma enorme janela atrás da cama com uma cortina branca.

A decoração era simples. Um armário com cabides se situava no canto esquerdo do quarto, na frente da cama tinha um criado-mudo com um vasinho de plantas, e no meio um pequeno tapete de cor damasco. No teto, pendurado nas lâmpadas tinha um móbile com estrelas que parecia estar lá por muito tempo.

"Eu preciso mudar muita coisa aqui", pensou Beth. O quarto parecia ter permanecido intacto à décadas. Então Beth foi tirando suas coisas da mala e foi organizando tudo. Pendurou suas roupas, organizou seus livros, colocou seu laptop no criado-mudo e colou alguns pôsteres de suas bandas preferidas na parede. Agora o quarto estava com outra cara, digamos mais "jovial".

Beth se jogou na cama, estava muito cansada. Encarou o teto e começou a pensar. Amanhã ela ia estudar em uma nova escola, conhecer novas pessoas da cidadezinha, ia descobrir como era viver sem seus "belos" pais que a abandonaram para ir trabalhar... tia Meg parecia ser boa pessoa, porém Beth nunca falara direito com ela. A última vez que tinha a visto era quando tinha doze anos, e depois de seis anos elas se encontraram de novo. Perdida em tantos pensamentos acabou adormecendo. Como sempre acontecia, sonhou com o garoto.

Dessa vez, ela estava numa ponte de um lago. Logo se jogou e dessa vez estava com um vestido longo preto. Foi afundando até perceber que o garoto estava vindo em sua direção no lago, ela permanecia parada, fazendo de tudo para respirar, porém ele continuava nadando em sua direção, e ia chegando perto, seu olhar penetrante a encarava, e ele ia nadando, nadando... Ela nunca sabia o que ia acontecer no final do sonho, sempre era ele correndo atrás dela, mas nunca acontecia nada, ela sempre acordava. Dessa vez ia ser o fim de tudo, de toda essa "maratona" de sonhos malucos, ele ia encontrá-la e ia deixá-la em paz. Mas não foi diferente, alguém a cutucou. Ela abriu os olhos devagar e percebeu que sua tia a acordou.

- Nossa, você parece péssima. - disse tia Meg - Está suando frio.

- É que, eu estava... sonhando um pesadelo. - disse Beth

- Ah entendo. - tia Meg parou e analisou o quarto - Vejo que arrumou o quarto ao seu gosto.

- É. Desculpa se eu mudei muita coisa, é só que...

- Tudo bem. Esse era o quarto que sua mãe dormia.

- É mesmo?

Tia Meg assentiu. Aquela casa lhe trazia muitas lembranças. No fundo não queria que Beth tivesse mudado o jeito do quarto, tinha sentido seu coração quebrado quando viu o quarto diferente. Sua família era muito unida no passado, porém tudo mudou quando Beth nasceu, sua mãe se irritou e expulsou a mãe de Beth de casa.

- Sua mãe sempre foi a caçula da família. - continuou tia Meg - Gostava muito de histórias e tinha medo do escuro. Eu sempre contava histórias pra ela e ficava do seu lado antes de dormir.

Tia Meg fez uma feição de serenidade, um sorriso bondoso se abriu no seu rosto e seus olhos brilharam.

- Mas ela se irritou comigo. - disse ela - Quando mamãe a expulsou de casa, ela esperava que eu fizesse algo. Mas eu estava com medo, então ela foi morar com seu namorado, que é o seu pai lá na cidade grande e nunca mais falou comigo. Por isso que quando ela foi falar comigo para tomar conta de você nesse período, ela só falou por telefone e friamente.

- Ah eu, sinto muito. - disse Beth

- Tudo bem.

Tia Meg saiu do transe do momento e disse que ia arrumar a casa. Quando ela saiu, Beth trocou de roupa e foi ler. Amanhã ia ser um longo dia no colégio novo, e mais tarde tinha certeza que ia sonhar de novo com o garoto misterioso.

Continua...

0 comentários:

Postar um comentário

Só comente quando saber pelo menos 10% do post e escolha a opção "Nome/URL". Ah e não aceito selos/tags e nem parceria. Obrigada pela visita.